Especialistas alertam para a importância da higiene nasal

27 de agosto de 2014

Sugestão de Pauta #atitudespararespirarbem

Segundo estudos, a prática de higienização nasal reduz os sintomas de rinite alérgica e pode prevenir infecções respiratórias.
Para mensurar a gravidade do tema, a poluição atmosférica foi responsável pela morte de 3,6 milhões de pessoas no mundo em 2012, contra 800 mil em 2001.

Uma campanha chamada “Atitudes para respirar bem” pretende chamar a atenção de todo o Brasil para a importância da higiene nasal como forma de prevenir doenças respiratórias. Segundo os especialistas, a higienização nasal previne as crises alérgicas porque ajuda a descongestionar as vias aéreas superiores, fazendo com que o nariz fique limpo das impurezas que normalmente irritam a mucosa. Estudos mostram ainda que a prática da higienização nasal diária com solução de cloreto de sódio reduz os sintomas de rinite alérgica e pode prevenir infecções respiratórias.

“É muito importante manter a lavagem nasal diária com solução de cloreto de sódio, mais conhecido como soro fisiológico. Esse é um hábito que precisa ser incorporado ao dia a dia da população como forma de prevenir e minimizar a incidência de problemas respiratórios”, afirma o Dr. Gustavo Wandalsen – médico pediatra professor adjunto da disciplina Alergia, Imunologia Clínica e Reumatologia do Departamento de Pediatria da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP.

A higienização diária fluidifica as secreções, ajudando em sua eliminação e, consequentemente, mantendo a mucosa nasal livre de impurezas. “Hoje em dia, existem soluções de cloreto de sódio a 0,9% em spray, como Sorine, que facilitam a limpeza em adultos e crianças”, conclui o Dr. Gustavo.

A campanha traz uma grande prestação de serviço para a população – por meio do site www.inspiracaoverde.com.br – com acesso a dicas de como ajudar a cuidar do ar que respiramos, entre outras informações importantes para manter uma respiração saudável, como, por exemplo:

• Evitar permanecer muito tempo em ambientes muito refrigerados.
• Criar o hábito da higiene nasal com lavagens diárias com soro fisiológico. 
• Não usar descongestionantes nasais sem indicação médica. 
• Se houver secreções, evite fungar. Assoar o nariz sem muita força, usando lenço descartável. 
• Manter o ambiente de dormir bem arejado. 
• Pessoas alérgicas devem evitar  roupas de lã, carpetes, bichinhos de pelúcia, cortinas de pano e colchas felpudas. 
• Na faxina de casa, evitar usar espanador. Prefira um pano úmido.


Durante um mês, por meio das mídias sociais, a campanha pretende disseminar a hashtag #atitudespararespirarbem como forma de conscientizar as pessoas da importância de cuidar do ar e também de incorporar o hábito da higienização nasal diária.


Também temos algumas dicas para ajudar a combater a poluição:





E você, tem alguma dica bacana para proteger seu filho em meio a tanto tempo seco e poluição?

Os Goonies - eu quero!!!!

29 de julho de 2014






Eu sou completamente apaixonada pelos bonecos da série Pop! da empresa Funko, existem todos os tipos de personagens que você pode imaginar, tem de desenhos animados à personalidades! Podemos encontrá-los por cerca de 9 dólares no Amazon. Não tenho certeza se enviam para o Brasil normalmente, eu simulei uma compra e o sistema acatou meu endereço mas como sou medrosa não tentei fazer checkout rs! Se alguém conseguir comprar me conte!

A coleção dos Goonies é composta por 5 bonecos de 9 centímetros aproximadamente, assim sendo: Bocão (Corey Feldman), Mickey (Sean Astin), Gordo (Jeff Cohen), Dado (Jonathan' Ke Huy Quan) e o Sloth (John Matuszak), todos vestidos com as roupas usadas no filme, só o Sloth que não vem com a roupa do Superman mas eu compraria mesmo assim!!!!








Não dá vontade de comprar todos?

Keka

Chefs Especiais - um trabalho lindo!

7 de julho de 2014

Conheci o trabalho dos Chefs Especiais através do Facebook na Fanpage deles e no Blog. 

Nossa missão é facilitar a autonomia de pessoas com Síndrome de Down e inseri-los na vida e na sociedade como referência, qualidade e inspiração através da gastronomia.

O projeto dispensa quanquer tipo de comentário, afinal é maravilhoso o trabalho de inclusão feito por eles! 




Você conhece os Chefs Especiais?

Em um dia comum e de muita correria na Avenida Paulista, um dos pontos mais movimentados da cidade de São Paulo, os Chefs Especiais mostraram para milhares de pessoas que um gesto especial pode deixar um momento muito saboroso e cheio de sorrisos. Confira o vídeo:

  


Criado pelo casal Simone e Márcio Berti, em 2006, o projeto Chefs Especiais já ajudou a inserir na sociedade mais de 200 jovens com síndrome de Down pelo ensino da gastronomia. A JBS, detentora de marcas como Friboi, Seara e Swift, é a principal apoiadora da iniciativa, que visa transformar cada vez mais pessoas por meio do prazer de cozinhar.

Pequenas Misses ou Show de horror?

3 de julho de 2014

O Programa Pequenas Misses, exibido no Canal Discovery Home & Health  é um Show de Horrores. Mães e Pais que certamente são pessoas frustradas e fazem com que pequenas crianças participem de concursos cansativos e absurdos em prol de prêmios altíssimos e com altos padrões de exigências em relação à beleza.

As famílias gastam cerca de US$ 6.000 dólares em vestidos, preparadores, maquiagem e cabelo. São unhas postiças, clareadores dentários, bronzeamento artificial, cílios postiços e apliques em crianças com menos de 3 anos!

Não contentes com isso, vemos crianças reclamando do cansaço, fazendo birra para não entrar nas apresentações e exaustas com tudo isso e do outro lado, pais e mães fingindo que nada está acontecendo e achando completamente normal!



Há crianças que apanham por não ter ganho uma coroa, crianças que se sentem mal por não terem se saído bem num concurso de beleza. Fiquei chocada com um pai que no episódio de hoje queria que a filha parasse de brincar para ensaiar, gente, essas crianças não são crianças? Não tem o direito de brincar? Tem que imitar a LadyGaga pro pai dela ficar feliz?

Em uma sinopse do programa que vai passar amanhã, 04/07 às 10:30, fica claro que o desejo de ser Miss é da mãe e não da criança!

Pequenas Misses: Carinhas Novas
  • Variedades / Reality Show Lily, de 3 anos, é uma menina voluntariosa cuja mãe deseja transformá-la em uma princesa. Ashley-Noelle, de 2 anos, segue os passos da mãe nos concursos infantis e não se contenta com menos do que a coroa de vencedora.


Além de toda essa loucura que você já deve ter visto na televisão há também a erotização precoce destas crianças, elas se apresentam com trajes de banho e pasmem, hoje me deparei com um episódio onde a menina de apenas 3 anos entra vestida de anjinho e ao tirar a roupa está vestida de Madonna (Oi?)


Sério mesmo que isso é normal? Que ninguém percebe o que estão fazendo com estas crianças? Que não existe pedófilo nos EUA?

Deixo aqui o meu relato inconformado e se você ainda não assistiu, veja os horários dos próximos programas!

Posters divertidos

2 de julho de 2014

O Designer carioca, Lucas Pamplona, criou uma série de cartazes intitulado: "Essa é minha mãe!". O resultado é algo super bacana e divertido, dá vontade de imprimir tudo, emoldurar e decorar a casa com os dizeres, afinal, quem nunca?

Bolo Integral de Maçã

30 de junho de 2014

Hoje testei uma receita nova que estava há muito tempo querendo adaptar, a receita original é do site Tudo Gostoso, adaptei colocando farinha integral e açúcar mascavo. 

Assei em forma de silicone, então não precisei untar e nem enfarinhar. Por cima polvilhei açúcar com canela, esta foi a única parte que o açúcar refinado entrou porque usei açúcar mascavo na receita. Não coloquei sal na massa, esqueci mas mesmo assim deu certo!

O que é muito bacana é que usamos a casca da maçã no bolo, achei ótimo!




Olhem que delícia por dentro? Cheio de pedacinhos de maçã!






Ingredientes



  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 1 xícara de farinha de trigo integral
  • 2 xícaras de açúcar mascavo
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1 colher de sopa de canela em pó
  • 1 pitada de sal
  • 3 ovos
  • 3 maçãs grandes
  • 1 xícara de óleo de canola




Modo de fazer

  1. Unte e polvilhe com farinha um tabuleiro médio (23×35), ou uma fôrma de buraco no meio
  2. Em uma tigela grande, peneirar a farinha e o açúcar
  3. Juntar os demais ingredientes secos
  4. Reservar
  5. Descascar as maçãs, reservando as cascas
  6. Picar em cubinhos
  7. Bater no liquidificador os ovos, o óleo e as cascas da maçã
  8. Juntar essa mistura na tigela com os ingredientes secos e misturar delicadamente
  9. Junte as maçãs picadas, misture e despeje na assadeira
  10. Asse por cerca de 40 a 50 minutos em forno médio
  11. Depois de pronto polvilhar açúcar e canela

Inalador Compressor ou Ultrassônico? Tem diferença, sabia?

28 de junho de 2014

Eu não sabia que havia diferença entre inalador ultrassônico e inalador compressor (aqueles barulhentos de copinho) até me deparar com esta informação. O inalador ultrassônico é excelente mas é indicado para uso de inalação com soro e broncodilatadores como Berotec e Atrovent.

O que tenho ultrassônico é o Pulmosonic Star:


Ele é ótimo, seguro e super rápido, não tem choro na hora da inalação mas é apropriado somente para soro e broncodilatadores como disse anteriormente.

Para um tratamento eficaz com medicações como Clenil (que foi o nosso caso) e Pulmicort que são coerticóides o mais indicado é utilizar inaladores compressores, como este da Omron que compramos:


Ele é super demorado mas é mais eficaz pois não esquenta a medicação e não quebra o efeito do medicamento. Tem menos ruído do que os que eu conhecia mas não é silencioso.

Enquanto eu estava na farmácia fui logo pesquisar no Tio Google pois uma amiga minha havia dito que o meu inalador ultrassônico não serviria para o tratamento por conta do uso da medicação. Fui direcionada ao blog da Aninha, Look Bebê e lá tinha um post bem esclarecedor e completo sobre o assunto. Além de pesquisar sobre as especificações dos fabricantes ela consultou especialistas que explicam justamente a questão do tipo de inalador indicado para cada tipo de tratamento. Vale a pena conferir o post também.

Choro na entrada da escola? O que fazer?

27 de junho de 2014

Meu filho já chorou bastante para ir à escola mas isso acontecia quando ele era bem pequenininho, hoje em dia ele faz um draminha, fica com aquele bico mas depois fica bem. Estes dias fiquei bastante chateada em relação a isso, pensei em mudar o horário, fazer com que ele entrasse mais tarde na escola a fim de podermos ficar mais tempo juntos e ele ir mais descansado ao invés de ir super cedo.

O que acontece é que é normal esse tipo de situação, as crianças choram por diversos motivos mas é preciso observar o comportamento deles quando você não está por perto para verificar se não é somente momentâneo ou se é constante. No caso do meu filho é momentâneo, fique atenta se a situação se prolongar, converse na escola, verifique se nada está acontecendo para que ele se sinta tão inseguro.

Fonte: Getty Images

Eu sempre converso no caminho da escola, explico que volto depois, que não vou deixá-lo lá. Ele é super apegado à mim, fazemos cama compartilhada, então é um grude só e eu gosto, claro. Mas não gosto de vê-lo sofrendo. Apesar de tudo, faz parte.

Agora, tomei algumas medidas, não prolongo muito a conversa, procuro deixá-lo rapidamente e nem olho pra trás, quanto mais tempo passo na entrada da escola mais ele fica triste e intolerante à minha saída. Outra saída, é deixar que ele leve algo explicando que se for um brinquedo que ao ser solicitado o objeto deve ser guardado pois a escola tem regras em relação a isso, somente em um dia da semana é liberado o uso de brinquedos trazidos de casa.

Segundo a Revista Crescer as três regras-chave são:

1 Incentive-o a falar dos sentimentos. Faça isso verbalizando as próprias experiências e perguntando como ele se sentiu perante momentos diversos.

2 Não desvalorize o choro da criança. É importante que ela saiba que você entende os motivos, ainda que não concorde.

3 Estimule os comportamentos que gosta, como quando seu filho divide o brinquedo com o amigo, e ignore os que não aprova, como choramingos.

Dica de APP: Calilou Check-up

3 de junho de 2014


Este não é um post publieditorial, não recebemos nenhuma quantia para a apresentação do aplicativo. Favorite nosso blog e fique por dentro das novidades, traremos várias indicações de aplicativos bacanas para crianças de diversas idades!

Vamos a nossa dica da semana?

Com Calilou Check-Up as crianças aprendem sobre várias partes do corpo através de brincadeiras bem divertidas! A criança verifica a temperatura, peso, altura e utiliza o estetoscópio. Uma forma muito bacana de aprender sobre o corpo humano de forma lúdica. 

São 11 mini jogos!

Captura de tela do iPhone 2

Levando em consideração que as crianças hoje nascem completamente conectadas, seu filho não terá nenhuma dificuldade em usar o aplicativo!

O aplicativo é em português, começa com uma pequena introdução e Calilou vai orientando a criança durante os joguinhos.

Captura de tela do iPhone 3

Captura de tela do iPhone 4

Captura de tela do iPhone 5

Há uma página especial para os pais se registrarem e receberem ofertas exclusivas.





Ponto negativo: Disponível apenas para IOS, não localizei o app para compra em outros dispositivos. 

Link do ITunes para download gratuito.



Histórias de 5 crianças que criaram negócios incríveis

14 de maio de 2014

Sabemos que crianças são super criativas não é mesmo? Mas você acreditaria se disséssemos que elas são capazes de criarem negócios promissores a partir de suas próprias necessidades? Pois é, conheça 5 histórias surpreendentes!

1) Makin’ Bacon Dish
 

Abbey Fleck tinha oito anos quando ela e seu pai tinham acabado de cozinhar bacon e descobriram que não havia toalhas de papel em casa para absorver a gordura. De repente, Fleck teve um estalo: “Por quê não pendurar o bacon para cima enquanto ele cozinha? Isso tornaria as toalhas de papel desnecessárias”. Em 1993, a dupla patenteou um prato para microondas com três barras verticais para pendurar o bacon. Um ano depois fecharam um acordo de distribuição com a Walmart e hoje faturam algo em torno de US$ 1 milhão em royalties por ano.


2) Water Talkie

 
Aos 11 anos, Richie Stachowski, estava surfando em uma viagem para o Havaí com a sua família, ao mergulhar percebeu que queria dividir com a familia o que estava vendo mas que não havia invenções para esse tipo de comunicação sub-aquática, então, Stachowski começou a pesquisar acústica submarina e experimentar protótipos na piscina da família. Foi então que surgiu o Water Talkie, um dispositivo cônico com uma válvula e membrana de plástico que permite que os nadadores falem um com o outro a uma profundidade de até 15 pés. Pouco tempo depois, Stachowski foi para Nova Jersey e apresentou sua idéia no evento Toys “R” Us, de onde saiu com um pedido de compra de 50 mil unidades. E com a ajuda de sua mãe, Stachowski abriu uma empresa chamada Short Stack LLC que, em 1999, foi vendida para a Wild Planet Toys.
3) Wristies


Kathryn Gregory tinha dez anos quando foi brincar na neve e sentiu seus pulsos começarem a doer por causa do frio, ela inventou o Wristies - “mangas” fuzzy, que podem ser usadas ​​sob casacos e luvas. Depois de testá-las, apareceu na rede QVC para promover seu produto. Foi a pessoa mais jovem a vender um produto na rede.

4) ManCans


Hart Main já não aguentava mais o cheiro doce das velas que sua irmã espalhava pela casa. Aos 13 anos, juntou três mil latas de sopa doadas e US$ 100 que ganhou trabalhando com entrega de jornais em Ohio, onde morava, e criou a ManCan, uma empresa de velas para homens. Para as velas masculinas, ele adicionou perfumes que não lembram nem de longe a coleção de sua irmã. O pequeno empreendedor criou essências de churrasco, grama fresca, bacon, café, cachimbo, serragem, fogueira e pizza, entre outros. As velas estão à venda e custam em média US$ 9,50 e podem ser encontradas na loja online, ou em 24 pontos nos Estados Unidos.

5) Crayon Holders


Cassidy Goldstein, aos 11 anos. vivenciou um problema que vinha atormentando crianças por gerações: seus lápis de desenho crayon acabavam se quebrando com o uso e as peças ficavam pequenas demais para segurar. Ela se deparou então com um tubo de plástico projetado para manter rosas frescas durante o transporte e teve a ideia de criar um protótipo com o mesmo material, porém voltado para suas necessidades com a pintura. Em 2002, ela registrou uma patente e logo fechou um acordo de licenciamento com a Rand Internacional, que garantiu a ela 5% dos royalties por venda. Sua invenção veio a ser ainda uma grande aliada para ajudar crianças com dificuldades motoras.

Fonte: Mosca Branca



Photobucket